passaro voando

♥ SANNY ♥

 Ticker

25 de jul de 2011


Dentição

7

1º Dentinho da Sanny ..vi no dia 20/07/11 o segundo foi dia 27/07/11 muito rápido entre uma semana e outra, e graças a deus ela não teve nehuma reação,e que venha muitos dentinhos rsrs.
Cada bebê assim que nasce possue, escondido sob as gengivas, a base de seus vinte dentes de leite. Na realidade, começaram a serem formados durante o sexto mês de gestação, buscando no sangue materno todos os sais (cálcio, fluor e fósforo) indispensáveis para a formação do esmalte e da dentina. Mas quando eles começarão a aparecer? Em geral, os primeiros dentes apontam aproximadamente aos 6 meses, mas esta previsão varia de bebê para bebê. Alguns antecipam, outros atrasam, em geral um ou dois meses. Eis alguns sinais que antecedem o aparecimento dos primeiros dentinhos:
- Salivação abundante: é muito característico que os bebê "babem" de modo excessivo. O desconforto, a dor, ou a coceira provocados pelo estiramento das mucosas da gengiva provocam uma maior salivação. Tome cuidados especiais, secando constantemente a boca de seu bebê para evitar que a saliva irrite a pele do queixo e das bochechas.
- Gengivas inchadas: outro sinal muito característico, que geralmente provoca dor e incômodo. Pode-se notar embaixo das gengivas a marca do dente que está para nascer. O bebê se torna irritado, agitado, pode até perder o apetite e o sono habitual. Para aliviar o desconforto, passe uma gaze banhada em água fria, ou use uma pomada específica que você pode solicitar uma indicação ao pediatra. Evite dar ao seu filho alimentos ou bebidas quentes que aumentam a sensação de irritação.
- Vontade de morder: não confunda com fome ou agressividade o fato que seu filho pega tudo o que encontra e morde com tenacidade. É o modo que ele encontra para massagear suas gengivas, que tanto o incomodam. Compre brinquedinhos especiais de borracha, em gel ou que podem ser resfriados na geladeira.
- Febre e diarréia: muitas mães associam estes distúrbios ao fato que os dentes estão por nascer. Realmente, um pouco de febre ou uma diarréia imprevista podem ser causados pelo aparecimento dos dentes. Porém, preste atenção para não confundir estes sintomas como sendo pelo surgimento dos dentes com alguma doença mais séria.
Quando aparece o primeiro dentinho? O nascimento dos dentes tem um ritmo todo pessoal, que varia a cada bebê. Mesmo a cadência com que aparecem pode ser variável. Abaixo, temos uma tabela que mostra a periodicidade e a ordem em que eles aparecem:



Incisivos Centrais Inferiores
(6° ao 8° mês)

Incisivos Centrais Superiores
(7° ao 9° mês)

Incisivos Laterais Superiores
(8° ao 10° mês)

Incisivos Laterais
 Inferiores
(10° ao 12° mês)

Primeiros Molares
(12° ao 18° mês)

Caninos
(18° ao 24° mês)

Segundos Molares
(24° ao 30° mês)

Primeiros Dentes
Permanentes
(entre o 6° ao 9° ano)
Por volta dos dois anos e meio, o bebê apresentará todos os seus dentes de leite. Dos 3 aos 6 anos, eles se estabilizam, e dos 6 aos 9 anos tem início a troca dos dentes permanentes.

21 de jul de 2011


Sanny - Palminhas...

0
Depois de cantar 100000000 de parabéns pra ela finalmente ela consiguiu bater palminhas e deixar a mamãe boba rsrsrs agora também é palmas a toda hora ...

O que é bom saber sobre as moleiras do bebê.

0
A lenda sobre os enigmas e perigos que rondam a moleira – ou fontanela – do bebê já foi enorme, mas seus mistérios estão praticamente decifrados e não assustam mais. Sabe-se hoje que ela é peça importante da arquitetura corporal dos recém-nascidos, com uma função específica no parto natural. Sabe-se também que não é tão frágil quanto parece e pode indicar uma série de estados de saúde da criança. Tudo isso no plural, pois não existe uma moleira apenas, mas duas. "A fontanela mais conhecida fica no alto da cabeça, chamada anterior. A posterior, um pouco acima da nuca, é menor e menos perceptível", explica o pediatra Luiz Cervone, da Maternidade São Luiz, em São Paulo. As duas são áreas em que não há ossos envolvendo o cérebro sob o couro cabeludo. Mas a massa encefálica não fica desprotegida. "Há uma espécie de bolsa sanguínea logo abaixo da pele, que atua como um colchão de proteção", diz o médico. A função básica das moleiras é reservar espaço para o crescimento do cérebro, cujo perímetro aumenta de 0,5 a 0,7 centímetros por semana, no primeiro mês de vida. E continua aumentando, ainda que mais lentamente, ao longo dos 18 meses seguintes. Se não houvesse esse espaço, o cérebro ficaria comprimido. Essa flexibilidade é útil, aliás, logo no nascimento. "Os ossos cranianos se adaptam para facilitar a passagem da cabeça do bebê pelo canal do parto", diz Cervone.

Fechamento

Com o amadurecimento da criança, as fontanelas vão se fechando: a menor deixa de ser perceptível aos 2, 3 meses; a maior, que é visível até o quinto ou sexto mês, depois passa a ser apenas palpável, desaparecendo por volta dos 18 meses. Segundo a pediatra Maria Esther Ceccon, do Hospital das Clínicas de São Paulo, o fechamento precoce pode apontar microcefalia (pequeno crescimento do cérebro). A demora pode indicar de raquitismo (falta de cálcio e vitamina D) até hidrocefalia, que é o desenvolvimento exagerado do cérebro. Às vezes, alguns desses casos exigem cirurgia. Por sua constituição, a moleira reflete estados de saúde do bebê. "A depressão da fontanela está relacionada com a desidratação", confirma a pediatra Maria Esther. Se a moleira estiver inchada, pode se tratar de uma infecção, que deve ser pesquisada. Na criança saudável, ela se apresenta plana e levemente resistente ao toque.

Janelinha útil

A existência de uma área na cabeça do recém-nascido, que não está coberta por osso, facilita o uso de alguns equipamentos médicos. Nos bebês prematuros, por exemplo, o ultra-som neurológico é feito pela moleira anterior, que neles também costuma ser maior. Essa variedade de funções torna as moleiras muito importantes, mas isso não é motivo para deixar de lavar adequadamente a cabeça do bebê, com medo de machucá-lo. "Não é para ficar apalpando, até porque não tem necessidade. Mas pode passar a mão sem susto", diz a pediatra Maria Esther Ceccon. 

20 de jul de 2011


Uma Boa e uma Má Notícia...

3
Hoje foi consulta mensal da Sanny, tive uma boa e má noticia, a má é que a infecção de urina ainda não foi completamente curada e ela vai tomar mais remédio por 10 dias e logo depois ela tem que fazer exame de urina novamente,espero que dessa vez resolva,apesar que ela não tem nenhum sintoma tipo febre e nem ficou enjoada menos mal,espero que dessa vez essa infecção suma de uma vez rs.
Mas pra melhorar o dia da consulta tive uma boa notícia  a pediatra me mostrou os dentinhos apontando...nossa como não vi isso eu ansiosa pra  ver esses dentinhos nascerem logo e não vi  rsrs.
Ontem ela começou a bater palminhas do jeito dela mas bate..uma graça e daqui a frente mais coisas novas vão surgindo e nós mamães babando a cada gesto rsrs.

14 de jul de 2011


Mancha Mongólica

1


A Sanny nasceu com essa mancha que tem o nome de mancha mongolica, no começo fiquei assustada pensei que teria acontecido algo com ela como uma queda,pancada,mas depois conversando com a pediatra ela disse que era normal,então procurei na internet e achei esse texto:
 
Mancha Mongolica
É uma mácula de cor azul - acinzentada, com tonalidade variável e com margens irregulares, freqüente em Recém-nascidos.

Localiza-se por norma na área lombo-sacra (Costas ou nádegas), podendo também aparecer, com menos freqüência, nas coxas e ombros.
A cor das manchas deve-se por norma á localização dérmica de melanócitos cheios de melanina que tiveram a sua migração da crista neural para a epiderme.
Apenas 10% dos recém-nascidos Caucasianos (Raça branca) apresenta a mancha mongólica, mas aparece em cerca de 80% dos recém-nascidos de Raça Negra e Mongólica. Daí resultar o nome! Não tem nenhum relacionamento com a doença de Down (Mongolismo).
A mancha mongólica é muito comum, pois, aparecem em cerca de 22% dos recém nascidos.
Existem já alguns estudos científicos que dizem que a mancha está relacionada com antepassados de origem asiática ou índios Americanos.
Muitos pais preocupam-se com esta mancha chegando a pensar que está relacionado com algum traumatismo sofrido durante o parto.
Mas tal como já expliquei não está relacionado com o parto, e, não há qualquer tratamento a fazer. A Mancha Mongólica tende a desaparecer na primeira infância, podendo demorar mais algum tempo quando são mais que uma.

4 de jul de 2011


Queda Inexplicável...

1
No sábado a tarde não recordo o horário fui trocar a fralda da Sanny logo depois que terminei como sempre coloquei ela no meio da cama e fui lavar as mãos no banheiro do lado do meu quarto, isso bem rapidinho ai fui na sala e peguei uma fralda coisa de segundos bem rápido e quando voltei no quarto levei um susto a Sanny estava no chão apoiada com os bracinhos se levantando,fiquei pasma ela não tava chorando é como não tivesse acontecido nada, examinei ela toda  a procura de uma marca e nada até agora não sei como aconteceu,só posso pensar que foi os anjinhos da guarda dela  que a salvou, depois do susto não deixo ela nem mais um segundo sozinha e agradeço a Deus por nada ter acontecido, ainda mais agora que até no carrinho ela começou a se  levantar sozinha deita e levanta a danadinha rsrs.Depois do acontecido resolvi procurar sobre quedas dos bebês na net e resolvi colocar aqui no blog achei interessante, vale a pena dar uma lidinha.

O que fazer em caso de quedas

O bebê caiu da cama. E agora? Preciso levá-lo ao hospital?

Sempre que o bebê leva um tombo grande -- do sofá, da cama, do trocador, do berço ou do cadeirão, por exemplo --, é necessário examiná-lo com atenção para ver se não há nenhuma lesão mais séria, principalmente se ele tiver batido as costas ou a cabeça no chão.

É preciso verificar se não há ossos quebrados, lesões internas ou uma concussão. Quedas podem ser graves em bebês, mas a boa notícia é que os ossos deles são mais flexíveis, portanto não se quebram tão fácil quanto os de crianças maiores.

Se o bebê parece estar bem, agindo normalmente, o mais provável é que a queda não tenha tido consequências mais graves. Mas fique de olho nele durante as 24 horas seguintes, especialmente se ele tiver batido a cabeça.

Siga seus instintos e prefira a precaução: se você acha que a queda foi muito grande, e que não é possível que ele não tenha se machucado, ou se o bebê estiver muito irritado ou agindo estranho, leve-o ao médico para um exame.

Em que situações preciso levá-lo para o pronto-socorro?

Procure ajuda médica nos seguintes casos:

• Se o bebê desmaiar. Caso você ache que ele não está respirando, grite por ajuda e faça manobras de ressuscitação imediatamente. Se você estiver sozinha com o bebê, primeiro faça a ressuscitação nele por dois minutos e depois telefone pedindo ajuda.

• Se o bebê estiver sangrando e o sangramento não parar quando você pressiona uma gaze ou um pano sobre o ferimento. Batidas na boca às vezes sangram muito, mas nem sempre são graves. Pressione um pano limpo e dê alguma coisa gelada para o bebê chupar. O sangramento deve parar.

• Se o bebê estiver respirando mas não reagir quando você fala com ele, ou se você não conseguir acordá-lo (mesmo que ele estivesse aparentemente bem depois da queda, mas apresente os sintomas horas mais tarde).

• Se houver sinais de fratura: braço ou perna desalinhados, um pulso meio torto, ou quando o bebê dá indícios de que sente dor quando apóia o braço no chão ou faz algum movimento (talvez você só note isso horas depois da queda).

• Se houver sinais de fratura no crânio: uma área "fofa" no osso, especialmente dos lados da cabeça (acima ou atrás da orelha); presença de sangue no branco dos olhos ou saída de sangue ou de um líquido cor-de-rosa pelo nariz ou pelas orelhas.

• Se houver sinais de concussão (quando o cérebro é afetado pelo traumatismo ou batida na cabeça), como: pupilas desiguais, vômitos seguidos e sonolência maior que o normal. Dependendo da idade do bebê, observe se há mudanças no modo como ele engatinha ou anda, se ele parece mais fraco ou confuso, ou se há sinais de problemas de fala, visão ou coordenação motora.

• Se o bebê não parar de gritar ou chorar depois de meia hora, por mais que você tente acalmá-lo.

• Se o bebê tiver um corte que pareça profundo, especialmente no rosto e em partes do corpo que se movimentam muito. Talvez seja preciso dar pontos. Na dúvida, não espere até o dia seguinte: os pontos funcionam melhor quando dados em até oito horas após o acidente.

É verdade que não devo deixar o bebê dormir depois da queda?

A vantagem de manter a criança acordada depois da queda é que fica mais fácil observar seu comportamento. Não é o fato de o bebê dormir que vai agravar a lesão, se houver uma. A questão é que um dos sintomas de que há problemas mais sérios em consequência de uma queda é justamente não conseguir acordar a criança. Daí a impressão de que o sono é o culpado.

O que os médicos recomendam é procurar observar bem a criança. Caso o acidente tenha acontecido perto da hora de dormir, procure manter seu filho acordado por cerca de uma hora após a queda. Depois disso, pode deixá-lo dormir, mas o acorde cerca de duas horas depois, só para ver se ele responde (ele obviamente vai estar sonolento, se for no meio da noite. Desde que reaja, não há problema), e mais uma vez até o amanhecer. Se você for ficar mais tranquila, durma com ele.

Depois do estresse da queda e de toda a choradeira, é normal que as crianças fiquem exauridas e precisem de uma soneca. Por isso, caso o acidente tenha acontecido durante o dia, deixe seu filho descansar mais ou menos depois de uma hora da queda, e procure acordá-lo depois da duração costumeira da soneca diurna.

Se em qualquer momento você não conseguir acordar o bebê, leve-o ao pronto-socorro.

Como cuidar do "galo"?

É normal surgir um galo bem grande em batidas na cabeça. Tente não se assustar, pois o galo é mais feio do que grave. A compressa com gelo envolto em um pano ajuda o inchaço a diminuir, mas não é imprescindível -- às vezes o bebê pode se assustar e gritar mais ainda, o que só vai piorar a situação de vocês dois.

Se o bebê parecer estar com dor, você pode perguntar ao pediatra sobre a possibilidade de dar algum analgésico, como o paracetamol, na dose indicada.

 

1 de jul de 2011


As primeiras papinhas ...

2
Ela fazendo arte na hora de comer...e comer que é bom nada rsrsr..

contador

E-familynet.com Ticker